Grêmio 4x3 Santos - Semi Copa do Brasil 2010 - Espetáculo em Porto Alegre!



Simplesmente o jogo do ano! Na noite de quarta-feira, dia 12 de maio, Grêmio e Santos se enfrentaram no estádio Olímpico valendo o primeiro jogo das semi-finais da Copa do Brasil 2010. De um lado um time jovem e muito rápido, com jogadores de nível de seleção brasileira e futebol ousado, do outro um grupo coeso e unido, com jogadores experientes e jovens promissores, que joga um futebol de pegada e objetivo.


Os mais de 40 mil gremistas, e alguns santistas, que foram ao estádio Olímpico viram um inicio de jogo eletrizante. A bola não parava e foi ataque de um lado e de outro. Aos 15 minutos Marquinhos cobrou escanteio, Victor errou novamente e André apareceu na segunda trave para marcar de cabeça 1x0 Santos. O gol mexeu com o time de Paulo Silas, que ficou um tanto dispersivo nos minutos seguintes até que num contra-ataque André recebeu entre dois zagueiros e chutou no canto, na saíde de Victor. Eram 20 minutos, e o Santos já ganhava o jogo por 2x0.


Dalí em diante foram momentos de grande apreensão e nervosismo por parte dos gremistas. Um minutos após o segundo gol santista, William Magrão fez belíssima jogada e entrou pela área adversária, sendo parado apenas com falta. Jonas cobrou péssimamente o penalti e Felipe defendeu com o pé, na sobra Edilson não teve tranquilidade alguma e chutou para fora a chance de descontar. Em seguida Borges pegou rebote em cobrança de falta e também sem tranquilidade chutou para linha de fundo. O Grêmio estáva perdido em campo, tanto no sistema defensivo como no ofensivo, sem tranquilidade e em uma pilha de nervos.


Paulo Henrique Ganso, que não foi convocado por Dungo, por pouco não marcou o terceiro. Recebeu bola na área, mas precisou ficar de costas para o arco afim de controlar a bola. Victor chegou fechando o gol, e Ganso deu um leve toque por baixo da bola, que encobriu Victor e pegou no travessão. Seria um golaço.


No segundo tempo tudo mudou, como vem acontecendo de costume no Grêmio. O time entrou com mais disposição e com o sistema táctico modificado. Assim não demorou muito para que Jonas cruzasse e encontrasse Borges na pequena área, que cabeceou e marcou o primeiro do Grêmio. Minutos antes o técnico Dorival Junior tirou de campo o meia Marquinhos e colocou um jogador de marcação, Rodrigo Mancha.



Em seguida o mesmo Mancha errou passe e novamente Borges ficou em ótima posição para empatar o jogo. A torcida foi ao delírio e no Olímpico um imenso coro começou a ecoar por todo estádio. Os jogadores santistas sentiram o golpe, e Dorival sentiu o erro e retirou Rodrigo Mancha, que jogou apenas nove minutos, e pôs Rodriguinho, para tentar sair do sufoco gremista. Mas já era tarde!


Jonas recebeu na entrada da área e lançou o petardo no ângulo de Felipe. Era o gol da virada, 3x2 para o Grêmio, e os santistas não acreditavam mais no que viam. E mesmo que acreditassem não conseguiam reagir. O Grêmio mostrou mais uma vez que possui o melhor preparo físico do Brasil na atualidade. Com Paulo Paixão e seu filho Anderson, o Grêmio sobra no segundo tempo. Adilson foi um mostro na marcação e nos arranques para o ataque. Mario Fernandez, antes de sair, foi outro jovem que não sentiu o baque inicial e também sobrou em campo. William Magrão outro jovem da base gremista que impôs seu ritmo após o Grêmio sair atrás do placar.


Então aos 30 minutos do segundo tempo, com o Santos completamente batido, Borges recebeu na área e marcou o quarto gol, seu terceiro. Neste instante a torcida era um grito só, e nas rádios e televisões que cobriram o jogo todos estávam pasmos. O Grêmio mostrou o velho Grêmio copeiro e brigador que tanto sucesso e tantas conquistas obteve nos anos 80 e 90. Nem mesmo o gol de Robinho, aos 38 minutos descontando e melhorando o saldo para o Santos, mudou a história do jogo que ficará na lembrança de todos que compareceram ao estádio Olímpico na noite chuvosa de quarta-feira.


Semana que vem tem o jogo de volta na Vila Belmiro. O Santos precisa apenas de uma vitória simples, até o limite de 4x3, para ficar com a vaga. O Grêmio novamente não irá jogar recuado, como já mostrou contra Avaí e Fluminense. Novamente teremos um jogo com muitos gols. Não dá pra negar que este é o cenário que se desenha para este confronto. Tanto Grêmio como Santos possuem certas semelhanças: ambos possuem bons ataques e defesas razoáveis. Então é esperar para vermos se semana que vem teremos mais um show de futebol em campo.




GRÊMIO 4 X 3 SANTOS

Grêmio
Victor; Ozeia, Rodrigo e Mário Fernandes (Joílson); Edílson, Adílson, Willian Magrão (Fábio Rochemback), Douglas (Maylson) e Hugo; Jonas e Borges.
Técnico: Silas Santos
Felipe; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Maranhão); Arouca, Marquinhos (Rodrigo Mancha) (Rodriguinho), Wesley e Paulo Henrique Ganso; Robinho e André.
Técnico: Dorival Jr.
Data: 12/05/2010, quarta-feira
Local: estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Enio Pereira de Carvalho (DF)
Público: 38.475 torcedores
Renda: R$ 819.403,50
Cartões amarelos: Rodrigo, Ozeia, Hugo, Adílson, Edílson (Grêmio), Durval, Robinho, Marquinhos, Léo, Arouca (Santos)
Gols: André (Santos), aos 15min e 20min do primeiro tempo; Borges (Grêmio) aos 12min, 18min e 30min, Jonas (Grêmio) aos 22min e Robinho aos 38min do segundo tempo

Comentários

  1. Nunca se esqueçam da batalha dos Aflitos ( o dia em que eu quase enfartei...)....
    Até à pé nós iremos......
    Para oque der e vier....
    Mas o certo é que nós estaremos.....
    com o Grêmio onde o Grêmio estiver....
    lalalalalalalalalalalalalalalalalalalalalalalalalal

    ResponderExcluir
  2. gostei de voce ter comentado sobre Paulo Paixão e o preparo físico dotime, poucos (assim como eu) lembraram disso.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente a vontade. Aproveite e deixe sua sugestão de postagem!

Postagens mais visitadas