Reta final do Brasileirão



Estamos chegando a fase derradeira do campeonato brasileiro de 2009. No momento há no mínimo seis clubes brigando para ser campeão, e tenho quase certeza que as demais três vagas para a libertadores ficará com os clubes que fazem parte deste grupo. Andei analisando o comportamento destes clubes, não só neste campeonato mas nos anteriores. O que posso dizer é que aos poucos eles estão se organizando e entendendo como funciona o campeonato de pontos corridos. Neste formato ganha aquele que aliar qualidade com um grupo forte. Não basta ter apenas onze jogadores, ou um time titular. Precisa ter um banco de nível bom para ótimo, e outros jogadores que possam recompor o grupo sem perder a qualidade. Exemplos disso que acabei de dizer foram todos os campeões desde que começou a fase de pontos corridos: Cruzeiro, Santos, Corinthians e São Paulo. Nos respectivos campeonatos que estes clubes venceram eles tinham além de um time titular forte, um banco de qualidade. E para que isso aconteça é necessário que haja um mínimo de organização na diretoria, para que busque reforços na medida certa e invista nas categorias de base. Todos eles também foram campeões com jogadores vindo da base do clube.

Atualmente os clubes que mais se organizaram foram São Paulo, Cruzeiro, Palmeiras e Internacional. Apartir deste ano o Grêmio também se mostrou atento a esta nova realidade do futebol brasileiro e buscou Paulo Autuori para comandar as mudanças extremas na equipe gaucha. Autuori chegou e já remodelou praticamente todo o departamento da base. Mudou esquema de jogo da equipe profissional, ajudou na escolha de reforços e está agora promovendo uma espécie de vestibular para a garotada das categorias inferiores. Tudo em nome da reorganização do futebol tricolor. Assim esperamos que para o ano que vem o Grêmio seja uma das equipes mais fortes do Brasil, assim como São Paulo, Palmeiras, Cruzeiro e o Internacional, apesar de estar passando por um momento delicado.

Esta é a nova realidade de nosso futebol. Com o fim dos mata-mata acaba-se também as chances de clubes apenas esforçados, que jogam principalmente na força deixando a técnica de lado, de serem campeões brasileiros. O próprio Grêmio sentiu isso nestes últimos três anos. Em 2007 chegou a ficar em terceiro lugar, depois de estar em segundo e perseguindo o líder São Paulo. A técnica sãopaulina engoliu o time esforçado do Grêmio, e acabamos ficando na terceira posição na última rodada. Em 2008 novamente tinhamos um time apenas esforçado. Apesar de ter bons jogadores, não havia um esquema de jogo que contribui-se com a qualidade técnica de alguns jogadores. O esquema era simples: balão pra frente e ataque sob pressão. No início até deu certo, e chegamos a colocar 12 pontos a frente do campeão daquele ano, o São Paulo. Mas na reta final faltou a qualidade, e como o esquema de balão pra frente e seja como Deus quiser já estáva manjado pelos demais clubes, acabamos perdendo o campeonato. Alguns não entendem isso, mas como diria um certo treinador, o torcedor é passional.

Este ano pela primeira vez desde 2001 o Grêmio tem um time que toca a bola. Constrói a maioria das jogadas de gol e sabe se reorganizar em campo, quando o adversário parece querer dominar a partida. Autuori está tendo trabalho para mudar a mentalidade tradicional do Grêmio para uma realidade que será a incontestável. Mas acredito que ele conseguirá moldar o time para este momento que vive nosso futebol.

Assim sendo eu descarto Atlético Mineiro e Goias da disputa pelo título, ficando a eles a disputa pela vaga para libertadores. Provavelmente o campeão sairá entre Palmeiras, São Paulo e mais remotamente o Internacional. O Grêmio correr por fora, e se bobearem iremos beliscar este título, porque não somos mais um simples time esforçado, agora temos força!

Comentários

Postagens mais visitadas