Grenal 376 - Inter 2x1 Grêmio - 05.04.09

Antes de escrever qualquer coisa queria perguntar: alguém realmente acreditava que com Celso Roth no banco seriamos capazes de vencer? Se acreditavam, lamento informar...Papai Noel não existe!



Assim como o Grêmio praticamente não existiu ofensivamente quase o jogo inteiro. Muito recuado, esperando o Inter jogar. E isso que todos sabíamos que a zaga lenta do Inter, que tomou 3 gols do Juventude, é fraca.

Mesmo assim levou perigo quando subiu, e até poderia ter aberto o placar aos 10 minutos num penalti não dado pelo Gaciba. Mas aos 20 minutos ele deu, e o Grêmio saiu na frente com Tcheco mandando para as redes a cobrança.

Bom, então o que o Grêmio da era Celso Roth mais fáz quando marca? Recua. E esse recuo trouxe o Inter que até o gol do Grêmio pouco criou. Assim o empate saiu aos 32 minutos, num penalti de Thiego sobre Nilmar e convertido por Andrezinho.

Segundo tempo, e me perguntei: o Grêmio mudou a forma de jogar? Não. Continuou acuado e jogando de forma estabanada no ataque. Até que conseguiu criar umas situações, numa delas uma falta batida por Souza no travessão. Então como o Inter viu que o Grêmio não queria ganhar o jogo, tratou de rolar a bola e colocar todo nosso time na roda. E pôs! Então Indio aproveitou uma falha da zaga e fez o segundo gol. Mais uma vez ele, zagueiro, que em todos os grenais tem marcado.

Então não é que o Grêmio resolveu atacar? Depois do gol, aos 32 minutos, o Grêmio se lançou ao ataque e só não empatou porque Rever acertou a trave numa cabeçada, o próprio Rever cabeceou bem mas Guinazu tirou na linha do gol, e Fabio Santos incrivelmente errou um gol sem goleiro. Mas isso já não é anormal neste Grêmio, perder gols feitos!

E assim terminou o jogo. Mas isso não seria um resultado normal? Afinal grenal é sempre um jogo aberto. Sim, verdade. Sou gremista, mas sei que as vezes nós vencemos, as vezes eles vencem. E isso é natural em se tratando de um clássico centenário e de grande rivalidade. Mas o problema é a forma do time do Grêmio jogar.

Desde que começou o ano a direção dita que o planejamento é a Copa Libertadores. Não sei se é por que são dirigentes novos e sem experiencia, mas o fato é que eles esqueceram que hoje em dia a Libertadores não é mais a mesma dos anos 80, onde apenas clubes de tradição e fortes competiam.

Hoje a Libertadores possue equipes fracas, e o Aurora e o Boyacá são duas destas equipes. Não vejo então tanta importancia em dar total atenção a eles e esquecerem das demais competições, tanto que lógo começara o Brasileirão, o campeonato mais dificil do mundo, e quero ver se o discurso da direção continuará o mesmo.

Porém o erro mais craso está no estilo de jogo do Grêmio. Totalmente sem autoridade e identidade. Não há a famosa pegada tão peculiar do nosso tricolor de tantas glórias. Não há também um comando forte vindo do banco de reservas, e que se reflete nas entrevistas mal dadas e cheias de arrogancia e desculpas após resultados ruins.

As desculpas são tão ruins que não impressionam mais a torcida. Tanto treinador como diretoria se gabam pelos resultados na Libertadores. Mas convenhamos, ganhar do jeito que ganhamos de Aurora e Boyacá Chicó, e ficar no 0x0 com a Universidade do Chile, no grupo mais mamão com açucar desta copa, não é merito algum. Ao contrário, deveriam eles próprios assumirem que apesar das vitorias os resultados são muito ruins ainda, e que precisam trabalhar com mais afinco. Mas parece que tanto o treinador como a direção estão com o mesmo virus que tomou conta de boa parte da torcida após a Batalha dos Aflitos. O virus da imortalidade!

Quem viveu o Grêmio em sua epoca de glórias mundiais, dos anos 80 até final dos anos 90, sabe como eram as coisas entre torcida e direção. Sabem que sempre ouve cobranças, e cobranças sérias. A direção se mexia, e lógo tinhamos um time competitivo.

É verdade que neste periodo tivemos dois reveses e acabamos jogando a segunda divisão. Mas sempre procuramos o melhor para o clube. E estamos precisando de muita união agora mesmo para não termos outras más surpresas num futuro bem curto.

A direção resta apenas uma saída, demitir agora Celso Roth, porque qualquer um que assumir vencerá tanto Aurora como Boyaca no Olímpico. Se classificará para as oitavas, e aí poderá aparecer o trabalho da mudança.

Se Roth permanecer será o pior para o Grêmio. Este time não tem força alguma, e será presa fácil para as equipes mais bem qualificadas da competição. Isso não é ser pessimista, é ser realista. É a opinião de um torcedor que está vendo em campo tudo isso acontecendo. E vendo que fora de campo tanto direção, jogadores e comissão técnica já estão se estranhando entre eles. Um ambiente ruim, muito propício para resultados piores a médio prazo.

Repito, não estamos apenas em um ano de Libertadores, mas de Brasileirão também. Não podemos sequer cogitar de não levar o Brasileirão a sério. Temos que organizar a casa para avançar bem na Libertadores e ter força para iniciar de forma positica o certame nacional. Porque é atravez deste certame que poderemos planejar nosso ano de 2010.

Então fecho o post com um singelo pedido a diretoria: Por favor, sejam coerentes e usem o bom senso. Demitam Celso Roth agora, e busquem reforços urgentes. Do jeito que está o ano não acabara bem para nós!
















Comentários

  1. Não vi o jogo, nem gremista sou, mas tenho que concordar contigo...o Celso Roth é uma bósta, serve para no máximo, treinar o avaí...e olha lá !!!!
    Parabéns pelo blog - ta 10 !!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente a vontade. Aproveite e deixe sua sugestão de postagem!

Postagens mais visitadas