Ser ou não ser, eis a questão!

Este é o ditado do Grêmio para o jogo de domingo contra a Sapucaiense pelo gauchão. Tcheco manifestou a vontade do grupo em disputar com seriedade o gauchão, e vencê-lo, mas Celso Roth não quer desgastar o grupo depois da longa viagem de volta da Colômbia, após vitória sobre o Boyacá.

A verdade é que se o Grêmio não reagir lógo, a taça com o nome de um dos maiores presidentes do clube poderá parar nas mãos de nossos vizinhos. Seria um deboche, e para revidar tal desonra, apenas o título da libertadores serviria.

Desta maneira é complicado imaginar como proceder. Usar time misto e correr o risco de se complicar de vez no gauchão, ou usar os titulares e correr o risco de perder alguma importante peça para o jogo contra o Aurora no dia 25, em Cochabamba?

Eu vi alguns videos do Aurora, e tenho acompanhado pelos jornais de Cochabamba e Sucre as noticias do time celeste. Neste momento cinco jogadores estão lesionados, e nem participarão do jogo de domingo contra o Real Potosí pelo campeonato boliviano. Então queria saber, se o adversário do jogo do dia 25 é tão fragil, porque Roth deveria poupar os jogadores titulares?

Jonas, e principalmente Alex Mineiro, precisam de entrosamento. Nada melhor que um jogo de gauchão para isso. Além do mais Herrera e Maxi Lopez podem atuar também. Seria um ataque argentino.

Seja como for, Roth já preparou o terreno no caso de um novo tropeço no gauchão. A cada entrevista ele afirma que o importante é a libertadores, e todos estão vendo, ele realmente está levando isso ao pé da letra.

Mas uma coisa eu digo. Seja a libertadores mais importante que o gauchão, ou não, este time do Aurora é para o Grêmio passear em campo. Se contra o Boyacá já foi fácil, e o Grêmio é que despertiçou os gols, contra o Aurora será muito mais.

Comentários

Postagens mais visitadas