Celso Roth e o futuro do Grêmio

Escrito lógo após o empate contra o Ypiranga pelo Gauchão 2009, em 05.03.09.

Muito me preocupou as declarações agora a noite nas rádios de Duda Kroeff e o resto da diretoria, assim como a entrevista do próprio Celso Roth.

Segundo a direção, Roth está no comando ainda pelo seu histórico "vencedor", porque ano passado conseguiu ser vice campeão brasileiro. ( A parte de estar 11 pontos a frente do Sâo Paulo e mesmo assim ficarmos atrás na reta final sequer foi mencionado pela direção).

Para Celso Roth o Gre-nal continua sendo apenas um jogo que, segundo dá para entender em suas palavras, só atrapalha seu trabalho no Grêmio, já que ele tem um planejamento diferenciado. (Acho que neste planejamento deve estar escrito que o Internacional não importa. Mesmo sendo ano do centenario deles e tal, o Grêmio não deve ser preocupar em vencê-los. Se puder correr, corra).

Então vejo a triste constatação. Avançamos na Libertadores e chegamos nas semi-finais. Pegamos uma equipe forte, catimbeira, tipo o Boca Juniors, ou uma que toque a bola, como a LDU, ou até mesmo o Sport Recife, ou Cruzeiro. Jogamos bem os dois jogos, como jogamos bem contra o Internacional em Erechim e contra o Universidade do Chile, mas não ganhamos e saimos fora da Libertadores. A direção vai dizer que o histórico do Roth é bom, porque tivemos problemas com jogadores, Magrão se machucou, faltou volante decente no mercado, e aquela conversa fiada de politico.

Entramos no brasileirão, e o Celso Roth alí, trabalhando tranquilamente com a direção ao lado. Nas primeiras rodadas vamos bem, por que isso o Roth sabe fazer, subir e se manter bem na tabela. Muitos aqui vão criticar o Roth, pedir sua saída, mas muitos vão dizer: somos líderes, calem a boca cornetas, seus colorados, bla bla bla

E o pior, como sempre acontece, ano a ano, na vida de Celso Roth, ele vai entregar como entregou para o São Paulo ano passado.

É esse futuro que me assusta. É por isso que estou transtornado com a direção por não nos ouvir.

Agora vejo torcedores pedindo pada deixar o homem trabalhar!

São cegos? Deixamos ele trabalhar ano passado e o que ele conseguiu? Um vice campeonato depois de estar 11 pontos a frente do time que se tornou campeão? O mesmo time que o Grêmio venceu duas vezes?

Dou aqui duas provas do trabalho perdedor deste senhor Celso Roth: derrotas para Vasco da Gama no Rio e derrota para o Goias em Porto Alegre. Ambas saimos na frente. Goias vencemos no Serra Dourada por 3x1 com autoridade.

No Rio, assim que terminou o primeiro tempo Roger, até então a cabeça pensante do time, disse que era preciso manter a pressão, o jogo ofensivo, para confirmar a vitória pois o Vasco estáva entregue. Roth fechou o time para o segundo tempo, dando a oportunidade do Vasco ir para cima, e claro, virar o jogo.

Goias no Olímpico. Grêmio sai na frente, gol de Léo. Apesar de estar jogando no Olímpico, com mais de 30 mil pessoas nas arquibancadas dando apoio e empurrando o time, Celso recua a equipe no segundo tempo. Deixa o Goias pressionar o Grêmio, e a virada veio infelizmente.

Só aí são 6 pontos que teriam nos dado o campeonato. Não citei outros jogos, como Nautico em Recife, que nem goleiro tinha e mesmo assim o Celso só avançou o time no final do jogo. Outro empate apático contra o Fluminense no Rio. Empate contra o Figueirense, um time que haviamos massacrado em sua casa por 7x1.

Celso Roth é um sabotador do próprio trabalho. Ele não aceita estar de bem com o futebol. Quando tudo tá tranquilo ele invente. Vide o Gre-nal. Era só repetir o esquema utilizado na quarta contra o Universidade do Chile, só isso. Mesmo que perdesse, todos entenderiam. Mas não, ele incrivelmente, mas infelizmente é o normal na vida dele, inverteu tudo, e mesmo assim não aceita a hipótese de ter errado. Prefere transferir a culpa aos jogadores e o calendário.

Por estes motivos não se pode confiar no trabalho de Celso Roth. São provas, fatos. E contra fatos não há argumentos!

Comentários

Postagens mais visitadas