O Grêmio e a 36ª rodada - Acaba o sonho do campeonato.

Neste domingo tivemos os jogos que encerraram a 36ª rodada do campeonato brasileiro. Vou tecer meus comentários apenas nos jogos de Grêmio e São Paulo.

Antes de começar decreto: O São Paulo já é o campeão de 2008. E com todos os méritos.
Porque digo isso? Bem, é o time que melhor joga. Tem uma defesa bem equilibrada, que erra muito pouco. Um meio campo muito combativo, com os melhores jogadores das posições no Brasil. O ataque é eficiente, envolvendo a defesa adversária desde o inicio da partida. Como se não bastasse isso tudo, no banco o São Paulo tem ainda o melhor treinador da atualidade no Brasil, Muricy Ramalho. Além de saber motivar seu grupo, Muricy sabe bem escalar o time, conhecendo profundamente tanto seus próprios jogadores como o time adversário.

Com tudo isso de vantagem não foi de estranhar o São Paulo ter vencido o Vasco nesta tarde em São Januário. Mesmo precisando desesperadamente da vitória, o Vasco se mostrou um time totalmente desequilibrado taticamente. Sem inspiração ofensiva a equipe treinada por Renato Gaucho se valeu da boa atuação do pequenino Madson para sair com o empate no primeiro tempo em 1x1. Mas no segundo tempo o São Paulo soube controlar o meio campista vascaíno, e apesar das entradas de Edmundo e Pedrinho, o Vasco parou na falta de pontaria de seus atacantes. O São Paulo, por outro lado, soube a hora certa de fazer seu segundo gol, por intermédio de Hugo, e depois apenas precisou esperar o tempo passar. Agora o São Paulo enfrenta o Fluminense no próximo domingo no Morumbi. Vencendo será o campeão. E quem acredita em outro resultado senão a vitória do São Paulo?

Já em Salvador o Grêmio mais uma vez foi realista, como foi realista todo o returno. Começou vencendo depois de mais um gol contra do adversário. Teve a chance de ampliar depois de um chute por cima da meta do volante Rafael Carioca, um gol que até a Dercy Gonçalves faria, e no segundo tempo o Vitória simplesmente ignorou o Grêmio e chegou a abrir 4x1. Souza descontou numa bela cobrança de falta.

Com este resultado só vencendo as duas próximas e torcendo contra um empate e uma derrota do São Paulo o Grêmio será o campeão. Mas convenhamos, o Grêmio não tem força para vencer o Ipatinga no próximo domingo, sendo assim adeus campeonato.
Não vou apontar culpados pela perda do titulo, mas algumas coisas precisam ser ditas. No início do campeonato a direção resolveu apostar no velho “bom e barato”. Com a folha salarial enxuta, sendo uma das menores da competição, a direção gremista apostou no grupo. Sabendo que tinha um grupo fraco nas mãos, apostou em Celso Roth, um técnico que longe de estar entre os técnicos vencedores do brasileirão ao menos consegue montar equipes competitivas para se manterem longe da zona perigosa do rebaixamento, e nisso que ninguém duvide, Roth é um especialista.

Até começou bem a competição. Quando as principais equipes postulantes ao titulo se preocupavam com a Libertadores, e outras com a Copa do Brasil, o Grêmio foi pontuando, e se mantendo nas primeiras colocações da tabela. Então a equipe do Olímpico acordou a todos depois de aplicar uma goleada histórica no Figueirense, em Florianópolis, e na combinação de resultados o Grêmio saiu líder naquela rodada. Permaneceu líder na virada para o returno, com 5 pontos de vantagem. Ao vencer o São Paulo no Olímpico, abriu 11 pontos sobre o provável campeão. Mas então o esquema de jogo de Celso Roth ficou manjado demais, e o Grêmio passou a precisar buscar os resultados fora de casa. E convenhamos, o time do Grêmio não tem qualidade alguma para tal feito. Antes as equipes adversárias jogando em casa partiam para cima do Grêmio, e como o esquema defensivo de Celso Roth estava bem calibrado, bastando alguns contra ataques velozes e certeiros para o Grêmio conseguir ótimos resultados fora de casa. Foi assim nas vitórias contra o Figueirense, 1x7, Atlético Mineiro 0x4, Coritiba, 0x1, São Paulo, 0x1, Goiás 0x3. E nos empates contra Sport, 2x2, Santos, 0x0. Apenas duas derrotas no primeiro turno, Vasco 2x1, Botafogo 2x0. E no Olímpico vitórias sobre Náutico, 2x0, Atlético Paranaense, 3x0, Vitória, 2x0, Ipatinga, 1x0, Portuguesa 2x1, Cruzeiro 1x0 e Fluminense 2x1. Empates contra Internacional, 1x1, Flamengo, 0x0 e Palmeiras, 1x1. Desta maneira o tricolor gaucho era o líder do campeonato. E para se manter líder precisava jogar com mais qualidade, pois os adversários já tinham em mente todo o esquema de jogo do Grêmio.

Neste momento é que o campeonato foi perdido. Primeiro no jogo contra o Flamengo no Maracanã. Era fundamental pontuar neste jogo, mas o Grêmio entrou em campo com a mesma postura do primeiro turno, ou seja, apostando na defesa. Mas com o Maracanã lotado, e o Flamengo já conhecendo o jogo do Grêmio, jogar na defesa não era mais o caminho certo. Isso ficou claro até o primeiro gol flamenguista. Então Celso Roth postou sua equipe mais ofensiva, e o resultado foi o gol de empate através de uma cobrança de falta de Souza. Mesmo assim faltou atenção defensiva, e logo o Flamengo marcou seu segundo gol, e a derrota tricolor ficou com aquele gosto amargo na boca, pois o resultado poderia ter sido bem melhor.

No próximo jogo contra o Náutico a ordem era vencer. Mas desde o inicio do jogo o Grêmio parecia completamente desorganizado. Parecia que a idéia de ter de atacar com organização nunca fora treinada no Olímpico, e o resultado foi o Náutico saindo na frente no marcador. Mas o pior veio quando o goleiro do Timbu fora substituído por um goleiro ainda juvenil. Este goleiro que entrou, David, estava completamente nervoso. Soltou bolas incríveis e por pouco não tomou verdadeiros frangos. Mesmo assim o Grêmio não soube aproveitar a chance, e não chutou contra a meta de David. O empate veio nos acréscimos, justamente aproveitando o nervosismo do goleiro David. Dois pontos perdidos, e não um ganho.

Mas não vou me atear a todos os jogos do Grêmio no segundo turno para explicar a decadência do time neste final de campeonato. Os empates fora contra o Fluminense e Atlético Paranaense, e as derrotas para Portuguesa, Internacional, Cruzeiro e agora para o Vitória, demonstraram toda a fragilidade do grupo. Seriam derrotas completamente normais, se não tivessem sido por falhas graves de posicionamento, atenção e postura tanto defensiva como ofensiva.

Para o Grêmio ter chances de vencer a Libertadores de 2009 é preciso manter o técnico, já que perderíamos tempo remontando todo o elenco e o estilo de jogo. Porém é extremamente necessário trazer reforços. Não digo de nome, de qualidade. Dois laterais, dois meio-campistas ofensivos e um atacante de área matador. Um zagueiro também cairia bem. De resto é treinar mais e mais a base do time, que é boa: Rever, Léo, Rafael Carioca, Wilham Magrão, Douglas Costa, Heverton, Felipe Matione, Bruno Teles, Perea, e Jonas. Claro, sem contar com Vitor, que agora no final de campeonato podemos dizer que é um bom goleiro, não excepcional como muitos gremistas pregaram, mas um bom goleiro.

Agora se muitos acharem que tudo o que eu digo é conversa de oportunista já aviso, doeu muito admitir que o São Paulo é muito melhor e que merece o campeonato. Para mim a alegria deste final de campeonato é saber que o meu time entrou desde o inicio para ganhar. Não ganhou por detalhes, que espero estarem todos bem resolvidos para o ano de 2009. Não posso aqui ficar desiludido, ou enraivecido por não termos ganho o titulo. Ao contrário, tenho que admitir que a campanha do Grêmio até agora, com este time limitadíssimo é até excelente, principalmente se compararmos com outros clubes que possuem jogadores de altíssima qualidade, como Fluminense, Palmeiras, Flamengo e Cruzeiro, e por que não o Internacional.

Então é esperarmos pelo ano que vem, e torcermos para que não façam as loucuras que todo ano são feitas no Olímpico, a cada ano novo um time novo. Deixemos a base, com o mesmo comandante e vamos atrás de jogadores de qualidade, para podermos ter um time sim, combatente e com muita qualidade.

Comentários

  1. Muito pessimista, e outra,,, o são paulo não foi campeão contra o Flu como vc disse...

    Seja mais gremista... lembre-se que somos imortais e não tá morto quem peleia... e quem peleia agora por nós é o Goias lá e nós no olimpico.

    Guerra.

    Até parece que não assistiu a batalha dos aflitos... parta quem, viveu aquilo nada é impossível.

    Mesmo que agora não dependa só de nós.

    Se perdemos no final, que seja decretado após o final... nunca antes... pois grêmio e gremista é até o apito final.

    Abraço

    Beto

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente a vontade. Aproveite e deixe sua sugestão de postagem!

Postagens mais visitadas