Luxa: “Se bater o Fla, Grêmio pode começar a ficar com a faixa”

O equilíbrio visto no Campeonato Brasileiro pode ser perdido nesta quinta-feira. Com as derrotas de Cruzeiro e Palmeiras nessa quarta-feira, o Grêmio abre oito pontos de vantagem na liderança se vencer o Flamengo, às 20h30, no Maracanã. A distância é tamanha que até mesmo um concorrente direto dos gaúchos admite que o título pode ter caminho certo já na 21ª rodada.

“Se conseguir um resultado positivo, pode começar a dar a faixa para o Grêmio. O resultado fora de casa está fazendo a diferença e o Grêmio está tendo isso, é a única equipe com estabilidade. O futebol não é vistoso, mas é uma equipe sólida”, enalteceu Wanderley Luxemburgo.

Apesar de crer que a taça dificilmente sairá das mãos do time de Celso Roth em caso de triunfo no Rio de Janeiro, o técnico palmeirense garante que não joga a toalha e acredita que pode conquistar em 2008 seu sexto Nacional na carreira.

“Ainda não terminou a competição, está tudo muito indefinido. A cada 90 minutos respondo uma pergunta totalmente diferente. Nesta rodada, a única equipe que andou foi o Botafogo, mas, com a minha experiência, sei que isso pode mudar”, apostou o comandante, que viu a equipe de Ney Franco ultrapassá-lo na tabela ao bater o Cruzeiro por 1 a 0 no Engenhão.

E a derrota mineira é usada por Luxemburgo como prova de que o péssimo desempenho do Verdão longe do Palestra Itália é algo comum neste torneio – melhor mandante da competição, os campeões paulistas têm apenas 27% de aproveitamento dos pontos disputados fora de casa.

“Dos sete jogos que tiveram na rodada, a única equipe que ganhou fora foi o Fluminense (contra o Náutico, nos Aflitos). Isso é um privilégio do Campeonato Brasileiro. De tantas rodadas que já tiveram, só em uma teve seis vitórias dos visitantes”, apontou. “Claro que eu gostaria de ganhar mais fora, mas isso não é um problema só do Palmeiras, é do futebol brasileiro”.

Diante de tantas justificativas, o técnico entra na torcida por seu time do coração para ver o Grêmio finalmente ser derrotado depois de uma seqüência de 11 jogos. Mas avisa: ainda não é hora de fazer contas para chegar à ponta.

“Não fico olhando para a tabela, vendo fantasma. Tem que ter calma. O Palmeiras não é o favorito, está mais difícil, mas temos condições de título e vamos brigar até o final”, prometeu o ainda otimista comandante alviverde.

Fonte: Gazeta Esportiva

Comentários

Postagens mais visitadas